Cidades

Prefeitura capacita equipe da Casa Abrigo Reflorescer

Foto: Fábio Nunes Teixeira

Para melhorar o fluxo de atendimento da Casa Abrigo Reflorescer, a Prefeitura de Guarulhos realizou na manhã desta terça-feira (22) um workshop de capacitação para o atendimento no local, além da entrega do fluxograma de trabalho da casa. O equipamento, um espaço onde mulheres vítimas de violência doméstica e que sofram risco de morte por parte de seu parceiro podem se abrigar durante o tempo necessário para que deixem essa situação, é o primeiro desse tipo na cidade e foi inaugurado em dezembro de 2019. 

 

Quarenta e oito pessoas participaram do workshop, entre servidoras da Casa das Rosas, Margaridas e Betes – Centro de Referência de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência Doméstica, coordenadoras das Casas Clara Maria, equipe jurídica da Casa Abrigo Reflorescer, além de servidoras das secretarias de Habitação, Desenvolvimento e Assistência Social e Saúde e da Patrulha Maria da Penha, da GCM, todas envolvidas com o recebimento das demandas dessas mulheres.

 

As palestras foram ministradas por Carla Jara, gerente de Serviços da Casa Abrigo de Barueri, e por Monique Vaniere de Souza, técnica do acolhimento de mulheres da cidade de Suzano, e abordaram temas como o conceito e formas de violência doméstica e demais tipos de violência, avaliação de risco e a percepção do risco iminente de morte, papel dos colaboradores da unidade, oficinas, atividades e propostas para emancipação da mulher, desacolhimento, locação social, vícios e questões psiquiátricas, além de problemas financeiros. 

 

De acordo Verinha Souza, subsecretária de Políticas para Mulheres e responsável pelo equipamento, é necessário que todos os agentes envolvidos no atendimento, desde a polícia até a assistente social que irá acompanhar a mulher, estejam completamente alinhados para que possam oferecer o melhor acolhimento. “O nosso objetivo aqui é apenas um: oferecer ajuda para a mulher que está passando por uma situação extrema de violência e que não sabe mais o que fazer. Para isso, precisamos constantemente realizar esse diálogo intersetorial”, disse. 

 

Além da subsecretária, estiveram presentes os secretários de Governo, Edmilson Americano, de Direitos Humanos, Abdo Mazloum, para Assuntos de Segurança Pública, Márcio Pontes, e Luciana Lopes, delegada de Defesa da Mulher de Guarulhos.