Cidades

Rede hoteleira registra superlotação devido ao cancelamento de voos para países do sul

Viagens internacionais foram prejudicadas após vulcão entrar em erupção no Chile

As quatro maiores redes hoteleiras próximas ao Aeroporto Internacional de Guarulhos permaneceram lotadas durante todo o dia de ontem. A superlotação começou com o cancelamento dos voos internacionais devido às cinzas do vulcão Puyehue, no Chile, que entrou em erupção no início da semana.

Nenhum dos quatros principais hotéis no entorno do aeroporto, Marriott, Caesar Park, Matiz e o Pananby, localizado próximo a entrada de Guarulhos, para os quais o HOJE ligou, tinha vagas no dia de ontem. A Reportagem foi informada que também não existia previsão para reservas.

Entre terça-feira e quarta-feira, segundo informações da Infraero divulgadas na tarde de ontem, foram canceladas 33 partidas do Aeroporto de Guarulhos, com destino às cidades de Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile), Montevidéu (Uruguai) e Lima (Peru).

Devido ao fato, as empresas aéreas orientaram os passageiros para retornarem para às residências ou casa de parentes. De acordo com Normas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) é obrigação das operadoras providenciarem acomodação para passageiros em caso de atraso de voo. As companhias teriam avisado a Anac que não conseguiriam cumprir a determinação.

O principal argumento das companhias é a dificuldade de encontrar um hotel que tenha 200 vagas disponíveis, por exemplo, para acomodar todos de um voo cancelado. A taxa de ocupação dos hotéis em Guarulhos e na Capital gira em torno de 75% a 80%.

O motivo do cancelamento ocorreu devido às cinzas expelidas pelo vulcão Puyehue, no Chile, que entrou em erupção no começo da semana. De acordo com as estimativas das empresas aéreas de outros países, pelos menos 30 vôos com destino ao Brasil foram cancelados.