Política

Stap é notificado pela Justiça e decide suspender a greve dos servidores em Guarulhos

O Stap (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública) anunciou em live no final desta tarde de segunda-feira que a greve dos servidores municipais em Guarulhos está suspensa. A entidade foi notificada de decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, que considerou a greve abusiva. Caso não garantisse 100% de atendimento do funcionamento na Saúde, Educação, Serviço Funerário, Limpeza Urbana e Serviço de Controle no Tráfego Viário e 70% nos demais serviços da Prefeitura de Guarulhos, passaria a ser penalizado com multa diária de R$ 50 mil. Desta forma, a entidade, que encabeça greve da categoria desde quinta-feira passada, orienta para que os servidores retornem ao trabalho nesta terça-feira.

A decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na última sexta-feira, em caráter liminar, apontou que a greve dos servidores públicos municipais em Guarulhos é abusiva. Segundo o desembargador Guilherme Strenger, vice-presidente do TJ, o movimento deve garantir 100% de atendimento na Saúde, Educação, Serviço Funerário, Limpeza Urbana e Serviço de Controle no Tráfego Viário e 70% nos demais serviços.

E considerou a greve abusiva: “A greve dos servidores públicos municipais de Guarulhos afigura-se abusiva, na medida em que a paralisação dos referidos serviços públicos do aludido Município poderá causar dano irreparável ou de difícil reparação aos cidadãos”.

No entanto, alegando que não tinha sido notificado, o Stap manteve o movimento nesta segunda-feira, afetando menos de 10% dos serviços prestados pela administração municipal. As secretarias mais prejudicadas foram Educação e Saúde, justamente onde a população mais precisa de serviços públicos. Conforme decisão do Supremo Tribunal Federal, os dias parados deverão ser descontados dos grevista.

O Stap iniciou a greve pedindo 25% de reajuste salarial, depois baixou o pedido para 23%, além de pedir aumento do vale-alimentação dos atuais R$ 520 para R$ 1.000. Em sua contraproposta, a Prefeitura ofereceu o auxílio para alimentação de R$ 900, um acréscimo de 73%.

Consta também da contraproposta um aumento de R$ 120 para R$ 200 na cesta básica, portanto, 66,6% a mais daquilo que é pago hoje, além de uma adição de R$ 40 no abono salarial, que passaria de R$ 80 para R$ 120. Trata-se de uma proposta que privilegia os trabalhadores com salários menores, que formam a maioria dos servidores de Guarulhos.